“Oi, sou eu de novo. Desculpa se prometi não tocar no assunto, mas é que acabei lembrando quando ouvi rumores de que você andou fazendo umas mudanças radicais na vida, pois é, acabei ouvindo sobre você. E que fique claro que só lembrei por isso, até porque eu nem lembrava mais de você, de nós, de tudo. Fiquei sabendo que conseguiu um emprego, entrou na faculdade, o que está cursando? Psicologia? Arquitetura? Já sei, Biologia? Bom, eu continuo na mesma, sabe como é, vivendo com os pais, pagando umas contas aqui e outras ali, nada de mais. Ah, conheci uma pessoa, não que você se importe, mas, bem, ela tem um sinal na perna como aquele que você não deixava eu olhar, tocar e tudo mais - até hoje eu me pergunto o porquê de não deixar, eu achava aquilo lindo - E você? Conheceu alguém? Aposto que sim, já se passou muito tempo desde que, bom, você sabe… Como ele é? Não que eu me importe, sabe, até porque eu não me importo, sério, eu não me importo, mas e aí? Me diz como ele é, será que ele tem um sinal como o meu também? Ele tem uma voz parecida? Nem o cabelo ou a barba mal feita como a minha? Jura que não? Ah, tudo bem, normal não? É difícil encontrar gente parecida mesmo… Mas vai dizer que ele não sabe contar piada como eu? O quê? Ele sabe contar piada? Meu Deus, quem sabe contar piada? Eu sempre tive problemas com isso, ok. Fiquei sabendo que cortou o cabelo, você sempre odiou cabelos curtos, o que houve? Uma vez pedi pra você cortar e você falou que não gostava e só por isso lembro desse detalhe do seu ódio, até porque eu não me lembro de muita coisa sobre você, juro. Eu não lembrava que você escutava música francesa e achava legal mesmo sem entender merda alguma sobre a música. Também não lembrava do seu vício por chocolate branco e nem de como você não comia tomate por achar eles azedos demais – Por Deus , quem acha tomates azedos? – Olha, eu só lembrei disso porque eu também sou bem parecido com você nessas coisas. Ok, não sou. Mas ei, não que eu me importe… Você conheceu alguém mesmo?”
Marcos Filipe.   ( (via repugnar-se)

“Será que alguém já colocou uma foto minha como papel de parede? Será que alguém já foi a um lugar só por minha causa? Será que alguém esconde ciúmes por mim? Será que alguém já se distraiu no meio do dia para ficar lembrando do meu sorriso ou algo do tipo? será que alguém abre minha janela do msn e fica sem coragem de falar comigo? será que alguém pensa em mim sempre que vê um filme romântico? será que alguém esta lendo isso e respondendo “eu” para cada pergunta? Será?”
Tati Bernardi.   (via repugnar-se)

“Quando a gente gosta, a gente começa emprestando um livro, depois um casaco, um guarda-chuva, até que somos mais emprestados do que devolvidos. Gostar é não devolver, é se endividar de lembranças.”
Fabrício Carpinejar. (via saangue-frio)

“‎Quero não sentir medo, Quero ser mais forte, Quero me entregar mais, Quero me preocupa menos, amar mais, me decepcionar menos, Quero sair pelo mundo, Quero Aproveitar os amigos e abraçá-los mais, Quero ver mais filmes, ler mais, Quero não me atrasar tanto, nem me preocupar tanto, Quero morar sozinho, quero ter momentos de paz, Sorrir mais, chorar menos e ajudar mais, Quero ser feliz, quero sossego, Quero me olhar mais, Tomar mais sol e mais banho de chuva, Preciso me concentrar mais, delirar mais, Não quero esperar mais, Quero fazer mais, suar mais, cantar mais e mais, Quero conhecer mais pessoas, Quero olhar para frente, Quero pedir menos desculpas, sentir menos culpa, Quero mais chão, Quero mais e tudo o mais. E o resto que venha se vier, ou tiver que vir, ou não venha.”
Fernando pessoa   (via repugnar-se)



“Porque nós somos feitos de poeira cósmica e estrelas que brilham incessantemente. Eu ouço “Let It Be” e canto, suspendendo meus braços pro céu, pedindo para que alguém, lá do alto, me conceda a graça de subir e ficar nas nuvens, sem precisar me preocupar com toda essa agonia que venho carregando ou coisa do tipo. Eu sei de todos os meus erros mas eu queria, neste exato momento, fechar meus olhos e encontrar um berçário de constelações cuja poesia me falasse de ti e de como o amor é bonito e em como a vida é bela apesar de. Basta toda essa tristeza que, às vezes, pego pra mim como um fardo e que eu não preciso, de verdade, carregar. Nós precisamos, lá no fundo, é de um amor que nos encontre com abraços bem apertados e uma voz serena e tranquila, e que diga sobre o que fomos e cante Beatles e que goste de Drummond. Todos nós deveríamos ter um grande amigo para ligar na hora da dor e dizer “ok” e rir e dizer novamente “ok” e rir novamente… A vida seria mais simples se olhássemos para as flores inexatas, que coincidentemente são as mais bonitas e plenas, são as que refletem quem somos e por que somos. Porque nós somos o corpo flutuando no espaço sideral, somos estrelas-cadentes que passam e nunca mais são vistas, apenas sentidas. Eu sinto estrelas, mesmo que eu não as olhe, eu as sinto. A lua me diz que somos metades para sermos inteiros, e que tudo isso é uma leveza quando visto com calma. E hoje me sinto tão feliz e calmo e sereno, talvez porque ouvir rock e ler textos românticos tenha se tornado uma prática viciante ou até mesmo porque quando eu me afasto eu fico comigo e fico bem, em paz. Se eu olhar para o meu céu, agora, eu terei todo o meu mundo voando atrás das estrelas. E será lindo.”
Igor Pires.  (via livrodosilencio)

“Eu não sei se eu vou ter tempo para escrever mais, porque eu posso está muito ocupado tentando participar. Então, se isso acabar sendo a última vez, eu só quero que você saiba que eu estava em um lugar ruim antes de começar o colegial. E você me ajudou. Mesmo que não soubesse do que eu estava falando, ou conhece alguém que passou por isso. Você me fez não me sentir sozinho. Porque eu sei que há pessoas que pensam que essas coisas não acontecem. E há pessoas que esquecem de como é ter 16 anos quando completam 17. Eu sei que serão apenas histórias algum dia. E nossas imagens vão tornar-se fotografias antigas. E todos nós seremos mãe ou pai de alguém. Mas agora, esses momentos não são histórias. Isso está acontecendo. Eu estou aqui. E eu estou olhando para ela. E ela é tão bonita. Eu vejo isso. Um momento em que você sabe que não é uma história triste, você está vivo. E você se levanta e vê as luzes nos prédios, e tudo isso te deixa surpreso. E você está ouvindo essa música nessa estrada, com as pessoas que mais ama neste mundo. E neste momento, eu juro; nós somos infinitos.”
As vantagens de ser invisível.  (via calopsias)

“Eu nunca senti tanta necessidade de alguém comigo, nunca senti tanta falta, nem gostei tanto a ponto passar o dia inteiro com essa pessoa na cabeça e quando vê-la meu coração bater tão forte assim. É que eu não tinha encontrado você antes, por isso que tudo isso é novo pra mim, porque é você, tinha que ser você pra me fazer sentir assim.”
Anne L.  (via deus-e-poeta)

“Eu sempre me perguntei porque a vida é assim. Louca. Medonha. Do que você tem medo? Do que você realmente tem medo? Perder quem você ama? Não conseguir entrar na faculdade? Não ser bom o suficiente? Como você imagina sua vida daqui a dez anos? Muitas perguntas eu sei. Lá vai mais uma: Você tem todas as respostas? Eu não. Eu não tenho todas as respostas na minha cansada e perturbada mente. Me admiram aqueles que dizem “Eu não tenho medo de nada” É claro que tem! É disso que a vida é feita. Medo. Escolhas erradas. Despedidas. Amor. ódio. Aqui vai um conselho: Não tenha medo de se arriscar porque a pior coisa do mundo é chegar á uma certa idade e ficar se perguntando “e se?” “e se?”. A vida é agora! Cometeu erros? Ótimo. Todos nós cometemos mas são poucos os que assumem e tentam consertar. O que seria da vida sem medo? Pois sem o medo você não teria uma vontade louca de superá-los. Todos nós amamos um desafio. Afinal, o que seria da vida sem o medo? Sem desafios? Sem se arriscar?”
— O medo de ter medo.  (via lecionar)